SAP Business One e Consultoria SAP

Telemedicina: entenda o que é e como funciona

19 abr
Telemedicina: entenda o que é e como funciona

Telemedicina: entenda o que é e como funciona

Que a tecnologia é uma forma de melhorar o relacionamento da empresa com o cliente não é novidade para ninguém, concorda? Então, que tal utilizar esse conceito na medicina? É isso mesmo que você está pensando: recursos tecnológicos nessa área proporcionam um atendimento médico de qualidade ao paciente.

Mas como isso é possível? Com a telemedicina! Trata-se de uma grande tendência, que veio para revolucionar o setor, especialmente no que diz respeito à entrega de resultados dos exames médicos.

Interessou-se pelo assunto? Então continue a leitura e saiba mais sobre a telemedicina!

O que é telemedicina?

É um termo que tem sua origem na palavra grega tele, cujo significado é distância — assim como ocorre nos vocábulos televisão e telefone, por exemplo. Logo, podemos definir que a telemedicina é qualquer prática médica que pode ser realizada a distância.

Ela é mais do que uma maneira de aliar tecnologia e medicina, pois utiliza todos os recursos disponíveis com o intuito de fornecer um melhor atendimento ao paciente, mesmo que ele esteja em locais de difícil acesso.

Os médicos podem ter acesso aos exames, transpondo barreiras socioeconômicas, culturais e geográficas. Assim, a prática facilita não somente a comunicação dos profissionais da saúde com seus pacientes, por meio das tecnologias de informação e comunicação, mas também permite um intercâmbio seguro de informações.

Para que você tenha uma clara noção do que é a telemedicina, vamos explicá-la a partir de um exemplo: suponha que você resida em uma cidade do interior, que não possui alternativas para tratar sua patologia. Devido a isso, seu médico recomenda um especialista de outro município.

Mas que tal realizar sua consulta sem que seja necessário se deslocar? A telemedicina possibilita isso! O médico responsável enviará seus exames ao profissional indicado por ele, que fará uma avaliação e sugerirá formas de tratamento, por meio do intercâmbio de informações.

Qual é a importância dessa prática?

É claro que sim. Poderíamos deixar os argumentos somente no tópico anterior, mas vamos além. A telemedicina é essencial para que profissionais da saúde possam realizar atendimentos às pessoas que moram em locais de difícil acesso.

Assim, com essa tecnologia, os pacientes têm a chance de receber o tratamento adequado. O que antes era disponibilizado somente nos grandes centros urbanos, hoje tem seu acesso facilitado a partir dos serviços ofertados por médicos especializados na área.

Além disso, há uma melhoria na assistência primária aos pacientes, com o uso dos diversos tipos de tecnologias da comunicação. Outro benefício associado a esse campo é o aumento da possibilidade de pesquisas e avaliações, com mais acesso aos dados dos pacientes, que ficam armazenados em um sistema na nuvem.

Dessa forma, os serviços de saúde podem ser ofertados a todos — até mesmo àqueles que moram em locais remotos. Ou seja: é possível um aproveitamento comum dos recursos, pois os profissionais passam a atuar em qualquer área.

É importante lembrar que essa descentralização não é vantajosa somente no rompimento de barreiras geográficas, mas também na contribuição para uma melhor troca de informações entre quem atua no setor de saúde, o que pode agregar ainda mais conhecimento sobre determinadas práticas médicas.

Como funciona a telemedicina?

A telemedicina pode ser dividida em 3 principais frentes: teleducação, teleassistência e emissão de laudos.

A primeira vertente é focada no profissional da saúde (como médicos e enfermeiros) que reside em regiões mais afastadas — em geral, longe dos centros urbanos. O objetivo é capacitá-lo e prepará-lo para situações comuns da prática médica, com videoaulas, palestras, programas de reciclagem e e-learning.

Já a teleassistência é a frente que tem por princípio monitorar os pacientes nos seus próprios domicílios ou nos centros de saúde. O acompanhamento é realizado por médicos e especialistas que se comunicam com outros profissionais a distância, buscando sempre o melhor atendimento.

Para garantir uma interação eficiente, são utilizados diversos equipamentos que fazem a avaliação dos parâmetros clínicos e enviam os dados para aqueles que não estão presentes, que podem, assim, oferecer uma segunda opinião sobre o caso.

Por último, a emissão de laudos a distância facilita o diagnóstico da doença. Isso porque os exames podem ser realizados em qualquer lugar, e os pareceres dos profissionais são emitidos independentemente da localização, por meio das tecnologias de comunicação.

Esses dados ficam armazenados em sistemas com total segurança e podem ser acessados quando for necessário.

Há desafios para a sua implantação?

Infelizmente, ainda existem alguns impasses nos programas de telemedicina. Uma dificuldade encontrada frequentemente é a de realizar a gestão de desempenho no que diz respeito à mudança.

Isso implica em educar profissionais e pacientes quanto ao uso dessa nova vertente, fazendo com que aprendam a realizar consultas e transmitir informações de maneiras inovadoras. Mas esse é um desafio que já está sendo vencido, especialmente devido às inúmeras vantagens da prática.

Vale ressaltar que, ao contrário do que muitos acreditam, a tecnologia não é um empecilho. Atualmente, grande parte das localidades brasileiras tem acesso à internet, o que facilita a troca de informações entre profissionais da saúde.

Como se dá a regulamentação?

A prática é regulamentada de acordo com as regras da Associação Americana de Telemedicina, possuindo reconhecimento nas leis brasileiras e nos conselhos de medicina. Além disso, as empresas brasileiras que prestam o serviço devem ter um médico responsável e possuir registro no conselho de medicina regional.

No Brasil, a telemedicina vem se consolidando a cada ano, demonstrando um crescimento promissor e contribuindo para uma disseminação mais efetiva da prática em programas de cooperação e assistência remota em saúde.

Por último, é necessário deixar claro que o uso da técnica não tem o intuito de substituir a medicina tradicional. Ela somente busca complementar a rotina médica, auxiliando pacientes que não podem receber atendimento de qualidade.

Gostou de saber mais sobre a telemedicina? Além de ser uma prática que rompe diversas barreiras, ela surgiu para tornar a área acessível a qualquer local do país, promovendo uma boa assistência às pessoas.

Você já conhecia a telemedicina? Interessou-se pela área? Então que tal compartilhar este conteúdo nas redes sociais e ajudar os amigos a entender do que se trata? Não os deixe de fora!

%d blogueiros gostam disto: