G2Tecnologia | SAP Business One, Consultoria SAP

Internet das coisas: como isso afeta seu negócio

29 maio

Internet das coisas: como isso afeta seu negócio

Entre as principais tendências de TI dos últimos anos, a Internet das Coisas destaca-se pelo seu potencial de gerar inovação e eficiência no ambiente corporativo. Ela pode ser integrada a diferentes negócios, gerando maior competitividade e capacidade analítica para empreendimentos. Isso contribui não só para que gestores tenham uma cadeia operacional mais eficaz, mas também um processo de tomada de decisões analítico e dinâmico.

Quer saber mais sobre a Internet das Coisas e como ela impacta a sua empresa? Confira abaixo o nosso post!

O que é a Internet das Coisas?

A Internet das Coisas (ou apenas IoT — Internet of Things) pode ser definida como uma categoria de dispositivos inteligentes que consegue coletar dados do ambiente e trocar informações por meio de conexões sem fio com outros aparelhos ou sistemas digitais. A IoT é uma tendência ampla, que tem ganhado força nos últimos anos e inclui diversos aparelhos.

Esse é o caso de cafeteiras que podem ser acionadas pela internet, termostatos domésticos que ajustam a temperatura automaticamente de acordo com a presença de uma pessoa em um local, relógios inteligentes e até calças que coletam dados sobre atividades físicas.

Tais dispositivos coletam informações continuamente e, com o auxílio de softwares, conseguem converter tais registros para aplicações mais práticos e convergentes. Isso vale tanto para ambientes residenciais quando corporativos.

Como a Internet das Coisas impactará o ambiente corporativo?

A Internet das Coisas promete ser uma revolução nas nossas vidas. Essa tendência começou a ganhar força nos últimos anos e, pouco a pouco, tem demonstrado o seu potencial para usuários comuns e gestores empresariais.

Se no nosso dia a dia a Internet das Coisas representa uma possibilidade de otimizar a rotina por meio de informações úteis e rotinas automatizadas, no ambiente corporativo ela é traduzida como serviços eficazes, uma cadeia operacional mais inteligente e integrada. Além disso, os dados da Internet das Coisas podem se transformar em competitividade por meio de análises de mercado inteligentes e dinâmicas.

Companhias podem adotar a Internet das Coisas para automatizar o seu ambiente de trabalho. O sistema de refrigeração, por exemplo, pode contar com a adição de termostatos inteligentes. Eles coletam informações do ambiente para calcular o melhor ajuste dos ares-condicionados e, assim, reduzir os gastos com energia do negócio.

Pulseiras inteligentes também podem ser implementadas para substituir o sistema de ponto. Assim que o profissional entrar no seu local de trabalho, a sua presença será detectada automaticamente, evitando fraudes e erros na coleta dos horários de entrada e saída de cada pessoa.

Os dados coletados pelos aparelhos da Internet das Coisas também representam uma oportunidade de otimizar a cadeia operacional e conseguir atingir novos mercados. Espalhando sensores dentro do ambiente de trabalho, o gestor consegue avaliar como cada rotina é executada, rastrear erros e identificar com maior precisão o impacto de cada política adotada pelos times internos.

Assim, é possível criar processos eficientes e adequados ao perfil do empreendimento, que atendam aos mais elevados padrões de qualidade do mercado e maximizem a produtividade de cada time.

Tais registros também otimizam a análise de mercado executada por analistas. Redes de lojas, como drogarias e supermercados, podem utilizar sensores para compreender como clientes comportam-se dentro dos seus pontos de venda.

Dessa forma, a companhia consegue otimizar a distribuição de seus produtos, dando mais destaque para as mercadorias com maiores chances de vendas (ou que chamam mais atenção de novos clientes).

Além disso, dados coletados por meio de aplicativos conectados a relógios inteligentes ou por meio de aparelhos de consumidores permitem uma compreensão mais precisa do perfil do público-alvo do empreendimento. Isso facilita a detecção de tendências do mercado e demais fatores que influenciam as vendas do negócio.

Assim, a empresa consegue direcionar os seus serviços de acordo com a demanda do mercado, tornando-se mais competitiva a médio e longo prazo.

Como investir na Internet das Coisas com segurança?

Apesar do seu grande potencial, a Internet das Coisas deve ser adotada com planejamento. A inserção de novos dispositivos na infraestrutura de TI de uma empresa expõe os seus ativos já existentes a novas brechas de segurança.

Portanto, é necessário que o gestor tome cuidado para que nenhum novo equipamento torne-se uma porta de entrada para malwares e riscos de segurança.

Além disso, o máximo retorno sobre o investimento só é obtido quando a empresa faz investimento em soluções adequadas às suas necessidades. Portanto, um dos primeiros passos ao investir na Internet das Coisas é avaliar quais são as soluções que melhor serão integradas aos objetivos do empreendimento de médio e longo prazo.

Ao integrar as soluções ao ambiente corporativo, o gestor precisa adotar medidas simples para impedir que elas se tornem uma vulnerabilidade. A senha de acesso aos painéis de controle, por exemplo, deve sempre ter o máximo de complexidade possível.

Os softwares internos precisam estar sempre atualizados. Assim, a empresa evita que bugs existentes em seus equipamentos sejam utilizados por hackers para invadir ou capturar o aparelho.

Segmente a sua rede. Mantenha o grupo de dispositivos em um grupo de rede separado e, se possível, em uma conexão Wi-Fi própria. Isso evita que invasores utilizem o equipamento de um profissional para obter acesso aos dispositivos da Internet das Coisas.

Por fim, os dados coletados devem ser trabalhados de forma estratégica. Escolha um bom local de armazenamento das informações, que seja seguro e com alta capacidade de controle. Além disso, implemente regras de acesso a tais registros, evitando que pessoas não autorizadas possam visualizar as informações coletadas.

A Internet das Coisas possui um grande potencial para empresas que buscam formas de melhorar as suas estratégias de marketing, atingir novos mercados, tornarem-se mais competitivas e criarem processos operacionais mais inteligentes e inovadores.

Ao longo dos próximos anos, os dispositivos IoT terão uma importância cada vez maior no ambiente corporativo, mudando a forma como realizamos tarefas e tornando a nossa rotina integrada e convergente.

Se você quer saber mais sobre o impacto da Internet das Coisas no seu negócio e receber em primeira mão as postagens do nosso blog, assine a nossa newsletter agora!

Escreva uma resposta ou comentário